REGIÃO

A Herdade das Altas Moras localiza-se no concelho de Moura, e é banhada pela água da Barragem do Alqueva, estando muito perto das Aldeias ribeirinhas do Grande Lago. Assim, poderá visitar as bonitas e castiças cidades, vilas e aldeias, como Monsaraz, Mourão, Moura e Estrela. A Herdade das Altas Moras tem a localização ideal para tirar o melhor partido e usufruir da imensa beleza do mais profundo Alentejo.

MONSARAZ

A Vila medieval de Monsaraz, distrito de Évora e concelho de Reguengos de Monsaraz, marcada pela cal e o xisto, conseguiu manter as suas características ao longo dos séculos. Um passeio em Monsaraz é também uma viagem no tempo, pois é um local único onde ainda se consegue encontrar a paz e a tranquilidade, esquecidas pelos tempos modernos.

No património de Monsaraz destacam-se o Castelo e a Torre de Menagem medievais, o edifício dos Antigos Paços da Audiência (séc. XIV/XVI) e a Igreja Matriz de Nossa Senhora da Lagoa (séc. XVI/XVII).

Esta aldeia ribeirinha está repleta de magníficos monumentos, tais como o Castelo, a Igreja Matriz, o Conjunto Urbanístico, a Ermida de Santa Catarina, o Complexo Megalítico (Cromeleque de Xerez Menires do Outeiro, Bulhoa, Olival da Pega, Rocha dos Namorados, Santa Margarida e Perdigões), a Igreja de Nossa Senhora do Rosário, o Museu da vinha e do vinho, o Museu de artesanato, a Oficina de tecelagem, a Ermida de São João Baptista, a Fortificação e conjuntos intramuros, a Igreja de N.ª Srª do Rosário, o Museu de arte sacra e o Museu de arqueologia.

O Artesanato de Monsaraz consiste na Cerâmica, nos Chocalhos, no Cobre, no Ferro Forjado, na Latoaria, no Mobiliário Tradicional nos Tapetes de Arraiolos e na Tecelagem.

MOURA

Moura é uma cidade muito rica em vestígios romanos e árabes, vestígios estes que se encontram bastante bem preservados podendo ser apreciados por todos os visitantes.

O Castelo de Moura assenta sobre um povoado da Idade do Ferro. É constituído por muralhas circulares e uma torre de menagem. Mas o mais relevante monumento de Moura, está situado dentro deste mesmo castelo, a Torre da Salúquia. Esta torre foi construída no século XI pelos árabes quando estes se situavam nesta zona.
A Igreja mais enigmática da cidade é a igreja de S. João Baptista, classificada como Monumento Nacional, foi edificada nos inícios do constituindo assim o melhor exemplar do estilo Manuelino existente no concelho.

A Igreja de S. Pedro, construída em 1674 é uma igreja de arquitectura simples mas no seu interior, o revestimento riquíssimo da igreja, é feito com azulejos de padrão seiscentista e azulejos setecentistas em tonalidades de azul e branco. É neste igreja que está presente o Museu de Arte Sacra que mostra a preciosa arte sacra alentejana.

Situada numa zona de incontestável valor olivícola, o azeite de Moura desde sempre figurou entre os melhores do Mundo. O Lagar de Varas do Fojo mostra-nos a evolução do sistema romano de produção de azeite até aos nossos dias.

MOURÃO

A Vila de Mourão, tem como principais atractivos os variadíssimos e belos monumentos, tais como o Castelo de Mourão, o Conjunto Urbanístico, a Igreja Matriz de Nossa Senhora das Candeias, a Capela da Via-sacra, a Capela da Venerável Ordem Terceira de S. Francisco, as Chaminés Mouriscas, as Ruínas do Convento da Nossa Senhora da Purificação e a Igreja Paroquial de São Brás.

Bem de longe se avista o castelo de Mourão, um castelo medieval mandado construir durante o reinado de D. Sancho II. A igreja da Nossa Senhora das Candeias, inserida nas muralhas do castelo, foi mandada construir em 1681 e é portadora de uma beleza interior digna de se apreciar evocando sempre a arquitectura típica alentejana.

Bem de longe se avista o castelo de Mourão, um castelo medieval mandado construir durante o reinado de D. Sancho II. A igreja da Nossa Senhora das Candeias, inserida nas muralhas do castelo, foi mandada construir em 1681 e é portadora de uma beleza interior digna de se apreciar evocando sempre a arquitectura típica alentejana.

ESTRELA

A Estrela, é geograficamente, socialmente e economicamente alterada, como resultado da subida das águas e a construção da Barragem do Alqueva.

O grande lago trouxe uma extraordinária mais-valia paisagística que lhe proporcionou um enquadramento geográfico excepcional.

A rua principal transformou-se numa "marginal", paralela à cota de enchimento da albufeira que reencontra a rua principal na Praça da Estrela, permitindo um claro circuito pela aldeia.